quarta-feira, setembro 06, 2006

Meus queridos amigos. O Festival Gradiente Cine Mobile chegou ao fim. Estou voltando pra minha cidadezinha em Cuba, onde infelizmente não tem ainda a Internet.

Obrigado por todos os comentários aqui do blog. Adeus e boa sorte a todos na carreira de cineastas da Pequena Tela.

terça-feira, setembro 05, 2006

Balanço do Festival Gradiente Cine Mobile

Ai....Ui.......dói na minha alma saber que esta é a última semana do Festival Gradiente Cine Mobile... Na terça-feira vocês vão conhecer o último vencedor dessa primeira edição do Festival.

Muita coisa boa aconteceu nesse período de trabalho aqui no Brasil. Confesso que fiquei surpreso com o nível dos filmes. Aliás, teve filme de todo nível: em cima da montanha, de 1,20m, de torres humanas....

E os críticos então? Fiquei emocionado ao ver pessoas soltando o Gaspar que existe dentro delas. Senti-me homenageado. Ou melhor: canonizado, que é o que vem depois de lorde.

Bom.....no geral, eu quero destacar o talento individual de cada participante que mandou seu vídeo. Individual sim, porque coletivo é coisa de júri popular.....

Foi difícil escolher os melhores filmes e críticos. Tive que ser minuciosamente criterioso e exaurir meu olhar telecinético.

Entre os pontos altos do Festival destaco os moinhos, os postes de luz e o ego do crítico. Balanço é isso né? O alto, o baixo, o alto, o baixo.

Não deixem de ver “O sonho da Valsa”, o filme mais doce da semana.

Abraços aos meus amigos, colegas e todo o resto.

quarta-feira, agosto 30, 2006

Última chamada Festival Gradiente Cine Mobile: Não deixe de votar.

Gostaria de convocar todos vocês que acessam este blog para votar em um dos críticos finalistas da 2ª fase do Festival Gradiente Cine Mobile.

Seu voto pode representar a escolha de um futuro crítico da Pequena Tela. Por isso não deixe de votar. Ainda mais se do lado de lá estiver o seu filho, primo, irmão, irmã, tio, pai, filho, periquito, gato, cachorro ou papagaio. Já pensou se um deles vira a nova revelação da oitava arte?

sexta-feira, agosto 25, 2006

Lição 3 – Olhar Telecinético

Uma das coisas mais mágicas do cinema de Pequena Tela é você poder explorar cada detalhe da imaginação escondida por trás de cada quadro: um cofre, por exemplo.

Claro que, para ver esses detalhes é preciso dominar a arte e a técnica do “Olhar Telecinético”. Por isso, hoje, vou ensinar usar o Olhar Telecinético para fazer sua crítica.

O primeiro caso de “Olhar Telecinético” no mundo, surgiu nas pesquisas de Descartes, que tentava mostrar a todos que os ângulos obtusos não eram tão obtusos assim, e descobriu ser P.O.T, ou portador do “Olhar Telecinético”.


O Olhar Telecinético: A inversão do olhar com a pupila dilatada, leva a informação ao cerebaldo, região do cérebro responsável pelos comentários críticos.

Na Pequena Tela, o “Olhar Telecinético” é combinado com a metáfora, para mostrar a relevância por trás de um filme.

Ou seja, para um crítico tudo depende de uma boa observação com Olhar Telecinético e de uma associação metafórica.

Treine seu Olhar Telecinético:
Você consegue ler as letras da terceira linha em diante?

Se não conseguir, clique na imagem para aumentar o tamanho.

Agora um teste prático: Onde está o bebê da foto?

R: Se você respondeu na barriga da mãe, acertou.

E aqui? Quantos nomes de grandes figuras da Pequena Tela você vê aqui?


Aprimore seu Olhar Telecinético praticando. Observe seu dia-a-dia.

Comentário: O uso do Olhar Telecinético e sua expressão por palavras, com consciência, é a mais poderosa arma de um crítico.

DICAS BÔNUS - Se o seu celular não é como o Gradiente GF-930 e tem baixa qualidade de imagem e som, saiba como inverter isso: grave sua crítica de preferência em lugares isolados, como um quarto ou banheiro. E fale claramente. Vídeos em dialetos que não estudei, serão prontamente desqualificados por mim.

quarta-feira, agosto 23, 2006

Lição 2 – Linguagem corporal

Com certeza você já viu alguém que passa uma mensagem apenas por gestos, usando o corpo. Aquele rapaz da pista do aeroporto, que movimenta os braços para o avião parar. O maestro dirigindo seus músicos na ópera. O mímico das ruas de Paris. Ou aquele cidadão do interior que mostra a direção para um pobre e desinformado motorista perdido.

Pois saiba que o gesto representa a expressão da voz que não é ouvida. O efeito exaustor da linguagem do Têto-a-Têto. Você não precisa estudar em Cuba para saber isso!

Só que na Pequena Tela, tudo é mais delicado. É preciso muita atenção. Um simples movimento do polegar do protagonista pode significar uma mudança na rotação do filme. O indicador pode mostrar um ponto importante. O fura-bolo, então, pode significar a arma da cena do crime da cozinha.

Por isso, o bom crítico tem que saber como interpretar e explicar uma linguagem corporal em sua crítica. Eis alguns exemplos:

1. Rotação do pulso: pode representar a passagem do tempo ou a troca de uma lâmpada queimada.







2. Rotação do pé: em ritmo acelerado é a representação do nado parafuso. Ou um feutiusch.







3. Tronco e pernas: na Pequena Tela, isso mostra qual o andamento do filme. Observe bem o ator. A inclinação artística, se ele anda de salto-alto, se dá mancadas na atuação.








Portanto, observe. Veja uma cena várias vezes. Em fast fórd ou zloooooowww mooooutioon, se for preciso. Mas reflita no que cada pequena coisa pode representar para a oitava arte. Afinal, para fazer uma crítica da Pequena Tela, você tem que pensar grande.

Comentário: O coração é o único orgão humano que não pára de se movimentar e, portanto, de se comunicar. O coração é o que comove um filme. Seja cirúrgico e incisivo na sua crítica.

sexta-feira, agosto 18, 2006

Lição 1 – Expressões faciais de um crítico

Um bom crítico tem que saber passar suas emoções e impressões sem usar palavras. Na verdade, muitas das técnicas que vou ensinar aqui, você já usa na vida. Isso mesmo!

Na casa da Vovó quando ela diz que tem carne assada, e não batata frita, você faz aqueeeeela cara. Quando a titia diz algo supreendente, você arregala os olhos, dilata as pupilas e abre a boca. Pronto. Viu como seu rosto pode mostrar tudo o que você pensa?

Essas mesmas técnicas que você usa no seu cotidiano, podem ser usadas para dar uma cara para a sua crítica. Aqui vão alguns exercícios para seus músculos faciais. Treine de frente para um espelho côncavo circunflexo:


a. Raiva – Contraia as sobrancelhas. Forçe a mandíbula mostrando os dentes. Pense no trânsito, no chefe, no professor que reprovou você etc.
b. Medo – Arregale os olhos. Mexa a cabeça lentamente para os lados, observando em sua volta.

c. Alegria – Lembre de uma boa piada. Contraia os olhos e abra o sorriso.
d. Tristeza – Relaxe os músculos do rosto. Pense nas segundas-feiras.
e. Surpresa – Arregale os olhos e abra a boca. Pense naquele dia que….bom…Como se você fosse o vencedor do Festival Gradiente Cine Mobile.

f. Repugnância – Sopa de Jiló com picadinho de fígado ao molho de chocolate e papa de frango cozido. Pegou?



1. Comprima todos os músculos do rosto. Sol
te. Comprima de novo. Solte. Comprima. Solte. Comprima. Solte. Solte. Comprima.

2. Sorria o máximo que você puder. Agora fique sério o máximo que você puder. Treine isso bem rápido umas dez vezes. Ou a vida toda.

3. Pisque os olhos bem rápido. Depois bem devagar.

4. Agora treine as 6 expressões básicas:


Comentário: a expressão pode ser a melhor forma de expressar o que foi expressado no filme que você está criticando….Tsah! Você entendeu…..

Não perca a próxima lição: Linguagem Corporal


terça-feira, agosto 15, 2006

Que tipo de crítico é você?

Aproveite as minhas dicas para a segunda fase do Festival Gradiente Cine Mobile

Depois de 6 semanas de muito trabalho, a primeira parte do Festival Gradiente Cine Mobile chega ao fim.

Agora vem um novo desafio. Quero ver se você aí, do outro lado do computador, consegue ser um grande crítico da Pequena Tela tão perspicaz, impiedoso e imparcial como eu, Gaspar Ferdinand.

Mas como eu gosto de dar uma força às pequenas causas, vou ensinar aqui minhas apuradas e exclusivas técnicas, tiradas da apostila do Instituto Liberación del Cinemá, a maior Universidade de todos os tempos especializada na arte da Pequena Tela, para que você se transforme em um grande crítico e, quem sabe, chegue perto do meu talento e minha connaissaince.

Além disso, vou postar, junto com as dicas e lições, uma citação de Sai baba. O guru dos ensinamentos da vida que retrata a Pequena Tela. Suas frases contém um elemento misterioso que pode revelar o caminho para você se tornar um grande crítico e ganhar o Festival e o prêmio: um celular Gradiente GF-930.

Continue acessando este blog para ter acesso a essas dicas

Sai Baba: “A verdade é a maior
protetora. Não existe guardiã mais
poderosa do que ela.”

Comentário: Ou seja, guarde bem essa: o bom filme é o que mostra a verdade e a simplicidade do dia-a-dia. Um filme verdadeiro fica bem protegido, sobretudo, das críticas.